Considere o que Você Pensa

sociedade dos poetas mortos

Você já teve um daqueles professores inesquecíveis? Um professor que te inspira, que te dá uma ânsia em participar da aula, em se fazer presente? Não precisa ser exatamente um professor, na realidade, mas um personagem na sua vida que tenha te inspirado o suficiente para querer fazer com que saísse do seu casulo e tentasse olhar as coisas de um outro jeito? Entender que há uma visão fora a sua, um mundo fora o seu, um lugar onde poderia estar que não é o lugar onde está agora?

Tendo ou não tendo, A Sociedade dos Poetas Mortos tenta fazer isso conosco, com seus espectadores. O filme desde o seu começo tenta mexer com quem está do outro lado da tela. Com suas falas de efeito, com o jeito como o Senhor Keating as enuncia, com a temática e a maneira como podemos nos ver naqueles personagens. Sociedade dos Poetas Mortos desde o seu começo tenta ser, para o espectador, mais do que um filme; uma forma de inspiração.

Ao colocar o espectador no lugar dos alunos, com a visão dos alunos, ele parte do princípio que estamos naquela local para receber, também, os ensinamentos passados naquela aula de Inglês. Engana-se quem acredita que o filme é sobre algum dos personagens, qualquer um que seja. Ele é a representação estética de uma mensagem, de que para que possamos viver uma vida plena precisamos parar de nos agarrar tanto as normas que parecem reger o mundo ao nosso redor. De que se queremos ser felizes, precisamos entender que as vezes é necessário olhar de um outro ângulo.

De que o conformismo não é a chave, mas o pensamento independente sim.

O filme detém uma quantidade enorme de ensinamentos com esse propósito, sempre tentando instigar o pensamento criativo dos seus alunos. Instigá-los a entender que pensar por si próprios não vai fazer com que suas cabeças caiam dos seus corpos. E nós muitas vezes passamos despercebidos pelo filme vendo-o somente como uma história de reflexão de um professor para seus alunos. Muitos continuamos perdendo o erro que é ver as coisas somente pelo que está lá ao invés de criar uma reflexão própria sobre.

O texto está pequeno e apressado hoje e talvez pouco criativo, mas só queria deixar essa mensagem aqui aproveitando a deixa do último post. Vamos procurar ver mais do que está na superfície, já que há muito mais a ser explorado no fundo. E tudo isso muda o mundo. Cada reflexão feita muda o mundo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s