Comédias & eu – Capítulo 2: Fresh Off The Boat

Essa é oficialmente a primeira vez que eu falo que vou fazer um texto seguindo o mesmo tema e eu realmente o faço. Oba! Ponto para mim. Devo estar amadurecendo. De qualquer maneira, eu tinha planejado continuar falando de comédias e então decidi que iria tentar alternar entre comédias mais antigas – apesar de não tão antigas assim – e algumas mais novas. A primeira dessa segunda categoria que eu queria falar sobre é Fresh Off The Boat, que estreou esse ano mesmo e já está confirmada para a sua segunda temporada.

A série se passa no estado americano da Flórida e nos anos 1990 e conta a história da família Huang. Os pais, Louis e Jessica Huang, nasceram em Taiwan e se mudaram para Washington ainda quando jovens. Eles então se casaram e tiveram três filhos: Eddie Huang (o personagem principal da história), Emery Huang e Evan Huang. O seriado, então, conta a história da vida dessa família depois que eles se mudam de um bairro específico de imigrantes chineses em Washington para uma vizinhança somente de brancos americanos na Flórida. A mudança, motivada pelo desejo de Louis de abrir uma lanchonete é o ponto inicial da trama, mas ela supera muito mais do que esse simples pretexto, além de ser bem importante em uma questão de representação.

Eu falo isso porque Fresh Off The Boat é a primeira série de comédia sitcom americana a estrelar asiáticos-americanos desde All-American Girl, de 1994, que só teve uma temporada. Mas além disso é importante acentuar que a história é de chineses e ela é contada por chineses, o texto principal da série vem da autobiografia do verdadeiro Eddie Huang, que atualmente é um chef de renome e uma personalidade bastante complicada e controversa – que inclusive já anunciou que além de não assistir o seriado não gosta de nada que é apresentado nele. Outra coisa que eu acho interessante é o fato dos atores que representam personagens não-caucasianos realmente não são caucasianos, assim como diversos escritores da série que também fazem parte de minorias étnicas.

A beleza de Fresh Off The Boat é, principalmente, sair dos estereótipos sem deixar de utilizar eles. O seriado se apropria de muitos estereótipos de pessoas asiáticas, especialmente chinesas, mas ao mesmo tempo há diversas quebras dentro desse conceito. Eddie, por exemplo, é apaixonado por rap e hip hop e por toda a cultura negra. Louis, apesar de ter toda a tradição oriental nas suas costas, abre um restaurante de churrasco americano que é quase um Outback. E todas essas coisas, tanto os estereótipos quanto a quebra deles, são feitos como parte da graça dos episódios, parte da piada que a série está te contando.

Mas não é possível falar de Fresh Off The Boat sem falar da personagem que mais brilha na série: Jessica Huang. Interpretada por Constance Wu, Jessica é a chefe da família que começa a temporada desempregada e sem nenhuma amiga na nova cidade. Ela é obcecada por tudo que lhe diz direito, desde a segurança dos seus filhos até os negócios da família. Jessica se torna familiar às mulheres do seu bairro, todas loiras, ricas, brancas e que amam Melrose Place – um reallity show que Jessica (e eu) não consegue compreender de forma alguma. Os momentos mais divertidos da série são dados por Jessica, sendo quando ela não entende nenhum pedaço da cultura tradicional americana (que realmente não faz sentido nenhum) ou quando ela se torna obcecada por alguma temática e isso toma controle completo do grupo familiar.

 

Mas, acima de tudo, Fresh Off The Boat está sempre brincando sobre como a cultura americana (ou a cultura “caucasiana”, já que falamos o tempo todo em cultura asiática sem nos darmos ao trabalho de especificar qual) é tão sem sentido quanto as outras culturas para pessoas de fora. Com a personagem de Jessica, principalmente, a série tenta nos colocar óculos especiais para que possamos ver essa cultura que engolimos tanto como parte da nossa própria com olhos diferentes. Desde uma ida ao mercado até a forma como americanos se vestem e veem televisão é problematizada pela série. Isso sempre sem perder o humor extremamente marcante. Um dos melhores episódios, inclusive, é onde Jessica decide que sua família está perdendo a noção da cultura chinesa e ela se obriga a fazer disso uma parte marcante na vida de todos eles.

Obviamente isso não dá nada certo.

Esse ponto faz Fresh Off The Boat bastante parecida com outro seriado do tipo: Everybody Hates Chris (ou Todo Mundo Odeia o Chris, para quem assistiu muito SBT quando jovem). Os dois seriados tem muitos elementos parecidos – muitos mesmo. O estilo de escrita é um deles, a tentativa de colocar os óculos de estrangeiro ou de alguém que tem uma cultura diferente no espectador comum. Fresh Off The Boat também faz uso dos voice-offs, algo bem marcante em Everybody Hates Chris – que contava a história do Chris Rock durante a sua adolescência. Outro conexão que é possível fazer dentro da série é com a outra comédia de sucesso Fresh Prince of Bell-Air (ou Um Maluco no Pedaço, se você ainda via muito SBT) que era a excelente sitcom do Will Smith onde ele tinha que se mudar para o bairro rico da cidade e começar a viver com a sua atitude gangster no meio da família do seu tio. A série se faz muito de referências desses dois seriados com protagonistas negros para contar a história de uma outra minoria.

Anúncios

3 comentários em “Comédias & eu – Capítulo 2: Fresh Off The Boat

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s